Poções: Criança de 7 anos morre afogada no bairro Açude


Uma criança de 7 anos foi encontrada morta, vítima de afogamento, na tarde desta sexta (29), no bairro Açude, em Poções. A criança de prenome Edinael era morador do bairro.

A Polícia Militar foi acionada e esteve no local, até a chegada da Polícia Técnica, que conduziu o corpo para o IML em Vitória da Conquista.

Segundo a mãe, que estava bastante abalada, a criança não era de sair, mas  pediu para ir brincar com um colega e infelizmente se afogou no açude. Informações: Liberdade FM.

Remédios ficam mais caros a partir de hoje. Saiba como aliviar seu bolso


A consultora de e-commerce Patrícia Maciel comprou dois medicamentos de uso contínuo durante o mês de março para evitar o reajuste do setor, que está em vigor a partiri deste domingo (31). Ao todo, Patrícia adquiriu nove caixas de remédios — três de anticoncepcional e seis para tratamento de acne.

Patrícia tinha com objetivo evitar o reajuste anual dos preços dos medicamentos, que chegou a 4,33% e ficou acima da inflação de 2018 — os preços em geral subiram 3,75% no ano passado. O aumento foi aprovado pela Cmed (Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos).

Isso significa que um remédio vendido a R$ 50 pode custar R$ 52,16 ao longo do ano. Procurado pela reportagem, o Ministério da Saúde afirmou que o reajuste será divulgado até dia 31 de março.

 O Sindusfarma Sindusfarma (Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos) afirma que, no acumulado de 2001 a 2018, a inflação geral somou 203,01% e o reajuste ficou em 169,38%.

O sindicato garante, no entanto, que os preços não são aumentados automaticamente por drogarias e farmácias.

 

(mais…)

Barra do Choça e nais oito municípios do sudoeste recebem veículos caminhão-baú do governo da Bahia


Através de consorcio o governo da Bahia entregou nove veículos caminhão-baú e dois kits de patrulha asfáltica, como forma de impulsionar a produção em todo o estado. A entrega foi realizada pelo governador Rui Costa, na segunda-feira (25), em ato no Parque de Exposições, em Salvador.

Os nove veículos caminhão-baú foram entregues para os municípios de Barra do Choça, Belo Campo, Brumado, Caculé, Candiba, Livramento de Nossa Senhora, Ribeirão do Largo e Tanque Novo, e totalizam recursos de R$1,2 milhão.

O presidente da Associação dos Pequenos Produtores Rurais da Região do Guigó, Almerindo dos Santos, disse que o caminhão vai beneficiar cerca de 42 famílias na região.

79ª CIPM participam de reunião para tratar sobre segurança pública em Barra do Choça


Na tarde desta sexta-feira (29) a 79ª CIPM participou de uma reunião do Conselho Comunitário de Segurança de Barra do Choça, evento que acontece mensalmente entre as forças de segurança e demais autoridades do município.

Além da Polícia Militar, estiveram presentes Polícia Civil, Guarda Municipal, Bombeiro Civil, Conselho tutelar, Câmara de Vereadores, Associação de Moradores de Barra Nova e representantes do poder público municipal.

Na ocasião, foram debatidos temas relevantes para a segurança pública de Barra do Choça, como a construção da casa de acolhimento, o recolhimento de animais que circulam pela cidade e, principalmente, a intensificação do policiamento no distrito de Barra Nova, entre outros.

Para o Ten PM Oséias Varges, comandante do 4° Pelotão da 79ª CIPM, estratégias para aprimorar os serviços prestados à comunidade são de grande importância, e destacou a chegada dos novos policiais, reforço que contribuirá nas ações de policiamento da cidade.  Fonte: 79ª CIPM/ ASCOM. 🚔 A FORÇA DO SUDOESTE NA CORRENTE DO BEM 🚔

Máquinas são entregues a agricultores familiares para reforçar produção na Bahia


Consórcios de produtores rurais de diversos municípios baianos receberam do governo do estado, nesta semana, 28 tratores com implementos agrícolas, nove veículos caminhão-baú e dois kits de patrulha asfáltica, como forma de impulsionar a produção em todo o estado.

A entrega foi realizada pelo governador Rui Costa, na segunda-feira (25), em ato no Parque de Exposições, em Salvador. Segundo o governo, a ação, realizada pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), tem um investimento de cerca de R$10 milhões, provenientes de emendas parlamentares.

Os tratores foram entregues aos representantes de associações de 28 municípios baianos e totalizam R$ 2,9 milhões, e são acompanhados de implementos agrícolas, como Arado Reversível, Carreta Agrícola, Guincho Hidráulico, Grade Niveladora Hidráulica, Compressor de Ar, Lubrificador de Graxa e Macaco Hidráulico.

Nove veículos caminhão-baú foram entregues a consórcios de agricultores — Foto: Divulgação/SDR

Nove veículos caminhão-baú foram entregues a consórcios de agricultores — Foto: Divulgação/SDR

Os nove veículos caminhão-baú foram entregues para os municípios de Barra do Choça, Belo Campo, Brumado, Caculé, Candiba, Livramento de Nossa Senhora, Ribeirão do Largo e Tanque Novo, e totalizam recursos de R$1,2 milhão.

O presidente da Associação dos Pequenos Produtores Rurais da Região do Guigó, Almerindo dos Santos, disse que o caminhão vai beneficiar cerca de 42 famílias na região.

O secretário da SDR, Josias Gomes, disse que a entrega das máquinas vai contribuir diretamente para o desenvolvimento rural.

Indisciplina transforma Bruno Henrique em preocupação no Fla


São seis gols e seis assistências em 11 jogos. Bruno Henrique chegou ao Flamengo e logo tornou-se solução para o time de Abel Braga dentro das quatro linhas. A parceria com Gabriel Barbosa, Diego & Cia não poderia funcionar de melhor maneira. Contudo, um aspecto do jogo do camisa 27 começa a preocupar os rubro-negros: os cartões recebidos.

São duas expulsões em clássicos, contra Vasco e Fluminense, e, no total, seis cartões amarelos – cinco no Carioca, um na Copa Libertadores. Desta forma, Bruno Henrique é o jogador mais indisciplinado do Flamengo em 2019 e está entre os mais faltosos – são 15 infrações. Cuéllar “lidera”, com 21. (mais…)

Parabéns Salvador, 470 anos.


Em 29 de março de 1549 nascia oficialmente a Cidade de São Salvador da Bahia de Todos os Santos, sob o signo de áries. Seu fundador, Tomé de Sousa, recebera ordens do rei D. João III para erguer aqui uma cidade-fortaleza. E ele o fez. Mas, o que o primeiro governador-geral do Brasil encontrou, não apenas já existia como organização social, como se imporia para sempre ao caráter da capital: o sincretismo, a mistura como lema. Sim, quando Salvador nasceu, não só o português Diogo Álvares tinha sido rebatizado de Caramuru, como a tupinambá Paraguaçu também já se chamava Catarina. E se agora comemoramos 470 anos da tentativa da Coroa de botar ordem às coisas, poderíamos muito bem celebrar 510 anos de uma catrevagem inordenável a que chamamos de Salvador, a primeira capital do Brasil, de elemento fogo (no rabo). Não é a toa que, sendo ainda a primeira cidade planejada do país, pelo traço do arquiteto Luís Dias, uma espécie de Brasília do século XVI, Salvador ferve em sua caótica exuberância.

Salvador, sinônimo de Bahia, e vice-versa

“Nas sacadas dos sobrados / da velha São Salvador / há lembranças de donzelas / do tempo do Imperador. // Tudo, tudo na Bahia / faz a gente querer bem. / A Bahia tem um jeito / que nenhuma terra tem”, na estrofe de Dorival Caymmi, Salvador e Bahia se confundem; a capital congrega o estado inteiro. Assim é também no estribilho popular “Adeus, meu Santo Amaro” que diz “Eu vou para a Bahia”, como se dissesse eu vou a Salvador. Isso por que, num processo linguístico comum e revelador, a Cidade da Baía de Todos-os-Santos tornou-se no correr dos anos a Cidade da Bahia e, de forma prática, a Bahia. (mais…)

Suspensão de verbas para pesquisas afeta estudos sobre febre amarela


A Fiocruz Minas Gerais (Fundação Oswaldo Cruz) emitiu um comunicado alertando que a suspensão de repasses do Governo Estadual de Minas Gerais para projetos de pesquisas pode prejudicar estudos sobre febre amarela e o zika vírus.

No dia 22 de fevereiro, a Fapemig (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais), reponsável por administrar a verba, anunciou a suspensão temporária de alguns editais de projetos e programas de bolsas.

Com estes incentivos, pesquisadores desenvolvem estudos na área de ciência, tecnologia e inovação. Na Fiocruz, por exemplo, são realizadas análises referentes à busca por tratamentos para doenças e criação de novas vacinas.

De acordo com a direção da fundação, a suspensão vai prejudicar, ao menos, uma pesquisa relacionada à zika e cinco sobre febre amarela, sendo algumas sobre a eficácia das vacinas.

O entrave acontece após o Estado sofrer com duas ondas de febre amarela, nos períodos de 2016/2017 e 2017/2018, quando a doença matou 162 e 178 pessoas, respectivamente. No ciclo 2018/2019, a Secretaria de Estado de Saúde ainda não registrou contaminações em humanos.

A vice-diretora de ensino, comunicação e informação da Fiocruz, Cristiana Brito, conta que a fundação perdeu 46 bolsas que seriam destinadas a estudantes, totalizando R$ 256 mil. Porém, ela destaca que a redução nos repasses tem acontecido desde 2014. Da época até hoje, segundo Cristiana, a Fapemig já deixou de repassar R$ 4,5 milhões.

— Nestes valores nós temos incluídos projetos que já passaram por edital, foram aprovados pela Fapemig, mas estavam aguardando liberação de recursos. Agora, eles estão suspensos e sem previsão de retorno.