Ministro do Trabalho pede demissão após ser alvo da PF


O ministro do Trabalho, Helton Yomura (PTB), pediu demissão do cargo nesta quinta-feira (5), informou a Presidência da República (leia a íntegra da nota ao final desta reportagem).

Alvo da Operação Registro Espúrio, da Polícia Federal, Yomura foi afastado do cargo nesta quinta por determinação do Supremo Tribunal Federal.

Valdo Cruz: Novo ministro não será do PTB
A operação investiga uma suposta organização criminosa integrada por políticos e servidores que teria atuado para cometer fraudes na concessão de registros sindicais pelo Ministério do Trabalho.

Helton Yomura foi à sede da Polícia Federal em Brasília nesta quinta-feira para ser submetido a interrogatório. Ele optou por ficar calado diante das perguntas feitas pelos investigadores.

Em nota, a defesa de Yomura afirmou que ele não cometeu nenhum ato ilícito e que “nega veementemente qualquer imputação de crime ou irregularidade”.

Na carta de demissão enviada ao presidente Michel Temer (veja reprodução mais abaixo), à qual o G1 teve acesso, Yomura afirmou: “Estou ciente de que jamais pratiquei ou compactuei com qualquer ilicitude ou irregularidade nos cargos que ocupei no Ministério do Trabalho”.

Deputado quer proibir fogos de artificio em toda Bahia


O parlamentar apresentou o projeto de lei nº (22.790/2018) que “dispõe sobre a proibição da comercialização, uso, queima, soltura e manuseio de fogos de artifício, artefatos pirotécnicos, rojões e foguetes que causem poluição sonora, como estouro e estampidos, no Estado da Bahia, e dá outras providências”.

Pensando no sofrimento que os animais passam nessas épocas do ano, e o quanto é prejudicial para a vida deles, o deputado estadual e protetor dos animais, Marcell Moraes, apresentou esse projeto de lei com intuito de conscientizar as pessoas do quanto os fogos causam mal-estar para os nossos amigos de quatro patas.

“Estamos no período junino e devemos colocar em consideração o quanto os animais domésticos e selvagens sentem desconforto com isso, podendo levar até a morte. Com audição bem mais sensível do que a dos seres humanos, os ruídos acabam sendo totalmente perturbadores para os animais”, diz Marcell.

Pis Pasep: Mais de 115 mil trabalhadores da Bahia podem perder abono se não sacarem até sexta


O prazo para sacar o Abono Salarial do PIS/PASEP vai até sexta-feira (29) e cerca de 115.769 baianos ainda não retiraram o benefício, um montante de R$ 88,3 milhões. Quem não sacar até a data, perde o dinheiro. O Abono Salarial ano-base 2016 começou a ser pago em 27 de julho de 2017.

Para ter direito a receber o dinheiro do PIS/PASEP é necessário ter trabalhado formalmente por pelo menos um mês durante o ano anterior, ter remuneração média de até dois salários mínimos. Além disso, o trabalhador precisa estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e ter tido seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

 O valor que cada trabalhador tem para sacar depende de quanto tempo ele trabalhou no ano anterior.  Quem trabalhou por apenas 30 dias recebe o valor mínimo, que é R$ 80. “Se a pessoa trabalhou um mês, recebe 1/12 do valor, se trabalhou dois meses, 2/12, e assim sucessivamente”, explica o chefe de divisão do Abono Salarial do Ministério do Trabalho, Márcio Ubiratan.

“Não vou colocar o meu futuro nas mãos de Jutahy”, brada Irmão Lázaro


A formação da chapa majoritária é sempre, ou quase sempre, motivo de divergências entre a própria base aliada. É assim no grupo de Rui Costa, está sendo assim no grupo de Zé Ronaldo (DEM). Os deputados federais Jutahy Júnior (PSDB) e Irmão Lázaro (PSC) se estranharam nesta semana, em Valença, durante reunião com lideranças do Baixo Sul e Recôncavo.

Conforme noticiado pelo jornalista Levi Vasconcelos, colunista do A Tarde, Jutahy disse que Irmão Lázaro não seria bom como candidato a senador ‘como Neymar não pode ser goleiro’, defendendo que quer Lázaro como candidato a vice-governador. Presente no ato, Irmão Lázaro ouviu e retrucou. “Jutahy disse ali que eu não sou bom como candidato ao Senado, como Neymar não pode ser goleiro. Só que nessa disputa eu sou atacante. É ele quem está querendo me botar na posição errada. Mas com certeza eu não tenho como colocar o meu futuro nas mãos de Jutahy. Não é a melhor opção”.

Ele completou ainda afirmando que se não o quiserem na chapa, já sabe o que vai fazer. “Vou me juntar com o Bolsonaro e tocar minha vida como candidato ao Senado. Estou vendo que de outro jeito não vai dar”. *Mídia Bahia

‘Não faço política olhando o retrovisor’, diz Neto sobre críticas de Ciro ao DEM


O prefeito de Salvador, ACM Neto, presidente do Democratas, avaliou, em conversa com a imprensa na tarde desta quarta-feira (20), a reunião que teve com o pré-candidato ao Planalto Ciro Gomes (PDT), em um jantar reservado em Brasília, na noite de segunda-feira (19), acompanhado do deputado Rodrigo Maia, presidente da Câmara Federal. A declaração foi dada durante inauguração do Abrigo Dom Pedro II.

Neto minimizou as declarações do presidenciável de que a prioridade era fechar alianças com PSB e PCdoB para garantir uma “hegemonia moral e intelectual. Ciro também chamou o vereador do DEM Fernando Holiday, de São Paulo, de “capitãozinho do mato”.  “Primeiro, não ouvi isso da boca dele e o que ouvi ontem foi outra colocação de parte do pré-candidato Ciro Gomes”, disse o prefeito.

O democrata afirmou ainda que as críticas de Ciro feitas ao Democratas ficaram no passado. “Eu não tenho porque olhar para o passado e, em função dele, condenar a pessoa. A pessoa pode evoluir, amadurecer, aperfeiçoar as suas ideias e pensamentos. Não faço política olhando o retrovisor, faço política olhando para o futuro”, disse.

Prefeita de Ipiaú vai à delegacia e presta queixa contra a vice


Delegado Rodrigo Fernando e a prefeita Maria das Graças (Foto: Giro Ipiaú)
A prefeita Maria das Graças, acompanhada da procuradora jurídica do município, esteve na delegacia de Ipiaú no início da tarde dessa quarta-feira (20), para registrar uma queixa de difamação e calunia por parte da vice-prefeita Margarete Chaves, que teria dito numa entrevista no programa de rádio “A Hora da Verdade”, na FM Ipiaú, no último dia 23 de maio, que a prefeitura teria comprado 4 mil sacos de cimentos no mês de fevereiro de 2018.
O município de Ipiaú nunca comprou, na gestão de dona Maria das Graças, nem tão pouco pagou, uma quantidade de 4 mil sacos de cimento. O que aconteceu foi o seguinte, no início do ano de 2017, a prefeitura fez uma licitação na modalidade de registro de preços, onde o prazo de vigência é de um ano. Durante esses 12 meses, a prefeitura pode comprar os sacos de cimento que forem necessários para a utilização de obras diversas de qualquer secretaria ou órgão do município. Com isso, ao decorrer do ano de 2017, mês a mês foram compradas quantidades variáveis de sacos de cimento… Em 2018, da mesma forma, a licitação ainda está vigente e os sacos de cimentos são comprados e pagos mediante nota fiscal mês a mês, de acordo com a necessidade do município”, disse a procuradora Isabelle Velúcia Dias de Araújo.

Procuradora jurídica do município explica à imprensa o motivo da queixa contra a vice-prefeita.
Em relação ao mês de fevereiro, denunciado pela vice-prefeita, a procuradora explicou: “No mês de fevereiro, o município emitiu uma nota fiscal porque comprou, utilizou e pagou através de nota fiscal 200 sacos de cimento. Ao todo, jamais sequer foram utilizados 4 mil sacos de cimento, não existe nenhuma nota fiscal contendo essa quantidade. Então a gente percebe que isso foi uma calúnia por parte da vice-prefeita e a tentativa de induzir a população de que a prefeita estaria utilizando sacos de cimento sem até fazer nenhuma obra”, finalizou a procuradora em entrevista coletiva à imprensa na delegacia de Ipiaú. Nossa reportagem manteve contato por telefone com a vice-prefeita Margarete Chaves, mas ela informou que no momento estava em numa ‘festinha’ dos idosos e que não iria comentar a reação da gestora do município. O rompimento da prefeita e da vice se deu logo após a eleição. O motivo ainda é desconhecido.  (Giro Ipiaú)

Igrapiúna: Prefeito é intimado e tem 15 dias para entregar documentos ao MP-BA


O prefeito de Igrapiúna, no Baixo Sul baiano, Leandro Ramos Santos, foi intimado pela Justiça a entregar em 15 dias documentos sobre a contratação de uma empresa por dispensa de licitação. O prazo foi estabelecido nesta segunda-feira (18) após sentença do desembargador Eserval Rocha do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). Caso haja desobediência, o prefeito será alvo de um mandado de busca e apreensão. Autor do pedido à Justiça, o Ministério Público do Estado (MP-BA) aponta suspeita de irregularidades em contratos sem licitação do Instituto Municipal de Administração Pública (Imap). O MP afirmou que enviou três ofícios ao prefeito, mas o gestor não respondeu a nenhum deles.

Lúcio amarra apoio com Herzem em Vitória da Conquista: ‘Único que me deu o crédito’


Foto: Blog do Anderson

O deputado federal Lúcio Vieira Lima (MDB) visitou Vitória da Conquista nesta sexta-feira (15) onde reafirmou o apoio que tem do prefeito conquistense Herzem Gusmão (MDB). “No auge da crise quando estava apanhando mais, Herzem chegou e disse: eu voto em Lúcio, não largo Lúcio de forma nenhuma”, comentou o parlamentar. Segundo reportagem do Blog do Anderson, o deputado foi bastante elogiado pelo prefeito e fez questão de agradecer o apoio recebido ao longo dos anos do correligionário. Sobre o recente encontro de Herzem com o deputado federal João Gualberto (PSDB), o irmão de Geddel teria demonstrado segurança sobre o apoio de Gusmão. “Isso é sinal que Herzem é desejado por todos. Isso é sinal que todo mundo quer o apoio de Herzem Gusmão”, falou. Após o episódio do bunker de Geddel, o MDB baiano passa por uma crise. O partido sofreu baixas e assiste o prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins (MDB), declarar apoio ao pré-candidato ao governo José Ronaldo (DEM), ao invés de emprestar força a João Santana, pré-candidato da legenda . Fonte BN

Parabéns Bom Jesus da Serra, 29 anos de emancipação política


Hoje (13/06), a cidade de Bom Jesus da Serra completa 29 anos de emancipação politica. Parabéns Bom Jesus da Serra.

Bom Jesus da Serra é um município brasileiro do estado da Bahia. Sua população segundo o censo de 2010 era de 10.597 habitantes.

História

As terras que formam o atual Município de Bom Jesus da Serra faziam parte do Município de Poções. Estas terras pertenciam inicialmente ao Capitão Timoteo Gonçalves da Costa. Por ocasião de sua morte, passaram a pertencer aos seus filhos Bernardo Roberto e Timoteo Filho. Bernardo Gonçalves da Costa muito se esforçou pelo povoamento do Arraial dos Poções. Os últimos proprietários dessas terras, chamadas de Bom Jesus de Baixo, foram Daniel Ferreira da Costa e Vicencia Ferreira Campos, que depois as venderam para o Capitão Raimundo Pereira de Magalhães, passando, posteriormente, aos herdeiros que tinham como objetivo desenvolver a agricultura e a pecuária. Na sede da fazenda, ao redor, foram criadas casas de moradia e comerciais, capela, cemitério etc. Os fundadores lotearam áreas e convidaram amigos e parentes à construírem casas na localidade. Afluiram muitos membros da família Meira, e outras famílias como Moreno, Moreira do Carmo e Amaral (as pioneiras). O comércio do arraial ganhou grande impulso, foi criada uma feira livre onde os produtores rurais vendiam suas mercadorias, tais como: laticínios, carnes de todas as espécie. A mamona, o milho, feijão, a farinha de mandioca e outros generos que eram enviados para Poções. Com a descoberta da mina de amianto, as atividades mineradoras duraram quase 30 anos. A exploração começou na decada de 1930, e até então esta mina era a única do Brasil, tendo produzido milhões de toneladas de lã de amianto, e exportado este minério até para a França. Na decada de 1940, instalou-se uma usina para beneficiamento de caroá, muito abundante em toda caatinga e que era transformada em corda e barbante e levada para Salvador. A partir de 1945, com o desativamento da usina houve uma forte decadencia. A feira livre semanal foi extinta e transferida para a fazenda Bomfim do Amianto. Mais ou menos nesta mesma época foi desativada a exploração da mina de amianto por ter trazido sérios problemas de saude para muitas pessoas.

Conquista: Ex-servidores da prefeitura fazem ‘oração’ para cobrar rescisões trabalhistas


Foto: Reprodução / Blog do Anderson

Um grupo de pessoas fez uma corrente, com direito a oração, em volta da prefeitura de Vitória da Conquista, no sudoeste, no começo da tarde desta segunda-feira (11). Segundo o Blog do Anderson, os ex-servidores – que trabalharam entre 2013 e 2016 – cobram o pagamento de rescisões trabalhistas do período em que trabalharam na secretaria de educação do município.  Eles declararam que apenas uma parcela foi paga, faltando outras três. Ainda segundo o blog, o ato foi feito após encontro com o prefeito Herzem Gusmão, que ficou de acertar uma nova data para encaminhamento da questão. No entanto, a nova reunião não foi divulgada.