Aqui no Sudoeste: Festa “paredão” termina com homem preso e equipamentos recolhidos


Dois aparelhos sonoros foram apreendidos e um homem foi preso por desacato na noite de sábado (16), na cidade Igaporã, região Sudoeste da Bahia. De acordo com informações da polícia, o caso ocorreu durante a interrupção de uma festa irregular do tipo paredão.

Segundo o subcomandante da unidade, Marcos Braga da Cruz, quando os militares chegaram ao Centro do município encontraram cadeiras e veículos na entrada de uma rua para impedir a passagem, onde o evento estava acontecendo o evento.

Ainda de acordo com o disse o oficial, a festa não tinha autorização da prefeitura: “Após acionamento da Vigilância Sanitária, foram feitas abordagens nos participantes. Um deles desacatou os PMs e foi conduzido”.

A polícia informou que o homem, proprietário de um dos aparelhos de som automotivo, foi conduzido e os materiais foram apresentados na Delegacia Territorial (DT) de Caetité. Informações: ATarde

Vitória da Conquista: Grave acidente deixa dois homens mortos na BR-116


                   Foto: Divulgação / PRF na Bahia

Duas pessoas morreram em dois acidentes graves neste fim de semana em Vitória da Conquista, no Sudoeste baiano. O último caso ocorreu por volta das 20h deste domingo (17), na altura do km 12,4 da BR-116, próximo à localidade de Trevo dos Campinhos. Um homem, de 50 anos, atravessava a pista quando foi atingido por um veículo.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF) na Bahia, a suspeita é que a vítima atravessou a pista sem atenção e então houve o atropelamento. O motorista do carro fez o teste do bafômetro, que não acusou ingestão de álcool.

Já na tarde do sábado (16), por volta das 18h, um homem, de 55 anos, que viajava como passageiro de um carreta morreu após ser arremessado para fora e ser atropelado pelo mesmo veículo. O fato ocorreu na altura do km 21, próximo ao anel viário de saída para Barra do Choça.

O motorista do caminhão sofreu ferimentos leves e foi levado para um hospital. Não há mais informações sobre o estado de saúde dele. Ainda segundo a PRF, o condutor não tinha habilitação para dirigir.

Poções não registra nenhum casos de covid-19 nas últimas 24 horas; mais 01 está considerado curado


Poções registrou, até este domingo (17/10), o total de 3799 casos confirmados da Covid-19. Destes, 3717 estão recuperados e 05 continuam em recuperação.
No momento, são investigados outros 50 casos notificados como suspeitos.
Desde o início da pandemia, foram registradas 77 mortes por complicações causadas pela doença no município.
A Prefeitura de Poções reitera à população que continue com os cuidados de prevenção, fazendo o uso da máscara, a higiene das mãos e evitando aglomeração.

Bahia registra 243 novos casos e mais 1 óbito pela doença nas últimas 24 horas


Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 243 casos de Covid-19 e 230 recuperados. O boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) deste domingo (17), também registra 1 óbito. Dos 1.239.893 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.210.695 já são considerados recuperados, 2.230 encontram-se ativos e 26.968 tiveram óbito confirmado.

Os dados ainda podem sofrer alterações devido à instabilidade do sistema do Ministério da Saúde. A base ministerial tem, eventualmente, disponibilizado informações inconsistentes ou incompletas.

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 1.561.207 casos descartados e 241.250 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas deste domingo.

Na Bahia, 52.168 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19.

Vacinação

Com 10.413.559 vacinados contra o coronavírus com a primeira dose ou dose única, a Bahia já vacinou 81.78% da população com 12 anos ou mais, estimada em 12.732.254. A Sesab realiza o contato diário com as equipes de cada município a fim de aferir o quantitativo de doses aplicadas.

Denatran Bahia arquiva mais de 14 mil processos de suspensão de CNH


Após mudanças no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), 14.715 processos de suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) serão arquivados na Bahia. A partir do próximo mês, os motoristas infratores beneficiados pela descontinuação dos processos receberão notificações pelo Correio informando sobre a prerrogativa.

Iniciativa que partiu do governo federal e foi aprovada pelo Congresso Nacional em setembro do ano passado, a mudança na CTB dobra o número de pontos que um condutor pode ter na carteira de motorista durante o período de 12 meses. Dessa forma, o motorista poderá chegar na pontuação máxima de 40 pontos se não houver nenhuma infração gravíssima. Se o motorista tiver uma infração gravíssima, a pontuação cai para 30 pontos, já se houver duas infrações gravíssimas, o limite permanece nos 20 pontos.

“Em razão disso [flexibilização da lei] houve alteração também da resolução do Conselho Nacional de Trânsito que regulamenta a ação processual. Segundo ela, os processos que ainda estivessem em tramitação e que não se enquadrassem no novo critério estabelecido pela legislação atual, deveriam ser arquivados”, explica Marcel Garibaldi, coordenador de acompanhamento dos processos de habilitação do Departamento Estadual de Trânsito (Detran – BA), órgão responsável pelo arquivamento.

Dentre um acervo de cerca de 160 mil processos administrativos de trânsito instaurados pelo Detran-BA, pouco menos de 10% vai ser arquivado. Segundo Garibaldi, os condutores que têm processos ativos, datados entre 2015 e 2021 e que tinham 20 pontos sem infrações gravíssimas em seu prontuário, são os que mais vão se beneficiar com a atualização da lei.

Motos

De acordo com o departamento, os motociclistas são a categoria com maior índice de multas recebidas. Em quatro anos, entre 2016 e 2020, 43% dos processos de suspensão da CNH no estado foram para condutores de moto. Enquanto a maioria das infrações registradas foram pela falta de uso de equipamentos de segurança, a recusa ao teste de “bafômetro” também tem números altos, correspondendo a cerca de 30% dos processos no estado. (mais…)

Covid-19: cai de 12 para 8 semanas prazo entre as doses da AstraZeneca


O Ministério da Saúde anunciou na sexta-feira (15) a redução do intervalo da segunda dose da vacina Oxford/AstraZeneca de 12 semanas para oito semanas. Com isso, fica a cargo dos municípios o ajuste dos calendários de segunda dose a partir da disponibilidade do imunizante. Segundo a pasta, foram enviadas doses para concluir o ciclo vacinal de todas as vacinas ofertadas em todo o país. No total, foram disponibilizadas a estados e municípios 310 milhões de doses. Tiveram o ciclo vacinal concluído até esta sexta-feira 103,7 milhões de pessoas. A população vacinável, com 12 anos ou mais no país, soma 180 milhões de pessoas. Segundo o Ministério da Saúde, a nova etapa da campanha de vacinação contra a covid-19 envolve a conclusão do ciclo vacinal de quem recebeu a primeira dose do imunizante da Pfizer e as doses de reforço para idosos, imunossuprimidos e profissionais de saúde. Um desafio dentro dessa fase é regularizar a situação de quem tomou somente a primeira dose. Segundo o Ministério da Saúde, 19,3 milhões de pessoas estão com a dose atrasada para a conclusão do esquema vacinal.

Itabuna: Criança morre e homem fica ferido após queda de muro de um colégio


A queda do muro de uma escola municipal no bairro Califórnia, em Itabuna, causou a morte de uma criança de 9 anos, identificada como Guilherme Aurélio, e deixou um homem, seu pai, Fábio Guedes dos Santos, de 45 anos, gravemente ferido na manhã desta sábado (16). De acordo com familiares, eles retornavam da feira e passavam próximo ao muro quando houve o desabamento. Segundo populares, a criança não resistiu ao impacto e morreu no local. O homem foi deslocado a uma unidade de atendimento em estado grave e inconsciente. Segundo o Blog Pimenta, o homem teve uma das pernas fraturada e escoriações no braço. As vítimas possuem parentesco com o vereador do município, Dando Leone (PDT). De acordo com o site IPolítica, a prefeitura local, por meio das secretarias de Educação e Promoção Social e Combate à Pobreza, estão prestando apoio aos familiares das vítimas.

Brasil tem semana com menor número de mortes desde abril de 2020


O Brasil registrou 483 mortes e 11.250 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas. Os dados são do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Com isso, o país soma um total de 603.152 mortes e 21.638.726 casos confirmados da doença desde o início da pandemia, em março de 2020.

No total da semana epidemiológica encerrada neste sábado, foram notificadas 2.323 mortes pela doença, o menor número semanal desde os primeiros meses da pandemia, no ano passado.

A última vez em que o número de mortes em uma semana foi mais baixo do que isso foi entre 19 e 25 de abril de 2020, quando a pandemia estava havia pouco menos de dois meses no Brasil e 1.669 novos óbitos foram confirmados.

O número de novos casos notificados nesta semana – 71.545 – é também o menor desde a semana encerrada em 9 de maio (59.543). As médias móveis de óbitos e de infecções estão em tendência de queda e ficaram em 332 e 10.221, respectivamente, neste sábado.

No ranking global, o Brasil continua em uma das piores posições em relação à pandemia: é atualmente o oitavo do mundo em número de mortes por Covid-19 em proporção à população, com 285,6 vidas perdidas para a doença a cada 100 mil habitantes, de acordo com o levantamento diário da universidade americana John Hopkins.

Anistia Internacional recomenda ações para diminuir violência policial na América Latina


A Anistia Internacional anunciou cinco estratégias para que haja responsabilização “eficaz e imparcial” da polícia em atos de violência policial na América Latina. As ações fazem parte do relatório “A polícia no centro das atenções: cobrando a responsabilidade da polícia por violações dos direitos humanos nas Américas”.

As recomendações feitas aos países são:

– introduzir mecanismos independentes e eficazes de supervisão e responsabilização policial;

– reconhecer e reforçar o papel crucial de organizações da sociedade civil e grupos de vítimas nos sistemas de monitoramento e responsabilização da polícia;

– assegurar que as investigações de possíveis mortes ilícitas cometidas pela polícia sejam conduzidas de acordo com o Protocolo de Minnesota;

– encarar a violência policial ilícita como uma questão estrutural;

– e definir claramente, em leis e regulamentos, a responsabilidade de oficiais comandantes e outros superiores pela violência policial ilícita.

O documento é fruto de uma conferência regional virtual promovida em janeiro de 2021 pela Open Society Foundation, pela Anistia Internacional, pelo Centro de Direitos Humanos da Universidade de Essex e pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos. O evento contou com a participação de quase 100 ativistas, acadêmicos e representantes do poder público.

De acordo com o relatório, no Brasil, as denúncias da Anistia Internacional sobre letalidade policial são “excessivas”. O documento cita o Rio de Janeiro, a Bahia e São Paulo.

“Diversas organizações, de várias regiões do país, se articularam para mapear e sistematizar os padrões de brutalidade policial. Essa análise se tornou peça fundamental para o entendimento da situação brasileira na composição do relatório latino-americano.” A maioria dos homicídios cometidos pela polícia no país, de acordo com o relatório, não é investigada adequadamente.

“Investigações independentes, de acordo com protocolos internacionais e que garantam a participação de vítimas, seus familiares e da sociedade civil são essenciais para interromper este ciclo.”

O relatório destaca que a adesão às cinco estratégias é essencial para a melhoria do trabalho policial e para o respeito aos direitos humanos.

Ainda de acordo com o documento, as vítimas do uso excessivo da força ou de outras ações ilícitas pelas polícias na América Latina e no Caribe são “desproporcionalmente” originárias de comunidades que sofrem discriminação estrutural, como indígenas e afrodescendentes, migrantes e refugiados, pessoas que vivem em bairros de baixa renda e pessoas LGBTQIA+.

“Apesar de não serem as principais vítimas diretas dos homicídios cometidos pela polícia em serviço, são as mulheres que, frequentemente, têm que lidar com as consequências da violência ou morte de um parente. As mulheres também são alvos diretos de violência de gênero em países como o México, por exemplo, onde a polícia e as forças armadas muitas vezes as submetem à violência sexual quando estão detidas ou são interrogadas”, diz o relatório.